Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PT-PT

O B J E C T I V A M E N T E

PT-PT

O B J E C T I V A M E N T E

«lei da existência»

Outubro 10, 2019

Às funções de ordem espiritual pertencem as diferentes formas de conhecimento que o homem possue [...]. Há espírito que difìcilmente se liberta da consciência, como há espírito que difìcilmente se liberta da vida, como há espírito que difìcilmente se liberta da matéria. [...] A sua maior ou menor dependência de cada uma ou de várias das outras regiões da realidade é perfeitamente visível na conformação de ordem superior e sintética que realiza ou dela é a expressão – a personalidade. [...] A personalidade, como qualquer outra das formas existenciais anteriormente citadas, – embora em diferente grau, – existe porque outras também existem. A lei da existência é relação de plurais, isto é, se qualquer coisa existe deve pelo menos uma outra também existir, pois, doutro modo, não seria o seu conhecimento possível. Êste é sempre relação unidade-diversidade e a diversidade só pode justificar-se ontològicamente. O mesmo se poderá dizer da vida, porque não há vida sem coexistência. [...] É uma questão difícil para certas correntes da filosofia concluir da consciência pessoal para a existência de outras consciências. E, de-facto, a consciência é intencionalmente dirigida para o mundo que está fora de si. Esta intencionalidade não exige a existência de outras consciências, mas de alguma coisa que não seja consciência, isto é, alguma coisa que lhe seja radical e estruturalmente diferente. Existindo isto, a consciência tem vida própria. Partindo da consciência (limitando-nos ao cogito) e não estabelecendo a dependência ontológica dos diferentes sectores da realidade com ela, tornar-se-á insolúvel esta dificuldade e o solipsismo inevitável.

 

Delfim Santos, Da Filosofia.
Porto, 1939, pp.79-80.

PT-PT

Literatura, Arte, Filosofia, Cultura.

Pensamento e crítica em

Língua Portuguesa.


Com a responsabilidade própria de cada um (autores e leitores).

Sem inferências: sem extrapolações.



Sínteses

um ponto de vista - o Espírito - uma dor escondida
infinitamente - um drama - da inteligência
e o imaginário - a ressoar - nomes opacos
cultura - porém - desmedida
o mundo - pensou e pensará - paysagens



Apontamentos

ACTIVIDADES- ACTORES- ARQUITECTURA- COLECÇÃO- CONFECÇÕES- DESACTIVAÇÃO- DESINFECTA- DIRECTO- DIRECTOR- EFECTUAR- FACTORES- FACTURA- OBJECTOS- ÓPTICA- PROJECTO- PROTECÇÃO- REDACÇÃO- RESPECTIVO- SELECCIONADAS-



Versões

SARAU_DE_ACADEMIA- RECOLHER_OBRIGATÓRIO- CULTURAL_IMATERIAL- VENTOS_E_OCEANOS- SIGNIFICADO- TRADICIONAL- COMPETÊNCIAS- ARTE_ROMANCEADA- VIRTUOSISMO- «Non_sine_altera»- CINEMA_PINTURA_POESIA_MÚSICA_(cancelado)- MURAL_COLECTIVO- HISTÓRIA_AZULEJO_ARTE_PORTUGAL- PROMONTÓRIOS- EMINENTEMENTE_AUTODIDACTA- PATRIMÓNIOS- PERCURSO_(cancelado)



Periódicos

57- A Renascença- ARTE & VIDA- Bem_Viver- Boletim- Boletim_Cultural_FCG- Carácter_e_Cultura_da_Europa- CRITÉRIO- CULTURA_PORTUGUESA- Diário_de_Notícias- Espiral- Eva_(Natal)- Exilio- LITORAL- PALESTRA- PANORAMA- Portugal_Futurista- PRINCÍPIO- PRISMA- Ramo- Revista_Municipal_(Lisboa)- Revista_Portuguesa_de_Filosofia- Serões- Sudoeste



Tempos

Séc.XV 1547 1597 1866 1867 1875 1896 1901 1902 1904 1905 1906 1907 1911 1912 1913 1914 1916 1917 1919 1923 1930 1932 1933 1935 1936 1939 1940 1941 1942 1943 1944 1950 1952 1953 1954 1956 1957 1958 1959 1960 1961 1962 1963 1964 1965 1966 1967 1968 1970 1971 1972 1973 1975 1976 1977 1978 1979 1980 1981 1982 1983 1985 1988 1990 1992 1996 1999 2000 2005 2008 2009 2010 2012 2013 2014 2016 2017 2019 s/data



Sequências

Mor242322212019181716151413121110090807060504030201



Conjunto




Deslizes

Tema

15 de Julho de 1867

«Portugal acaba de abolir a pena de morte. Acompanhar este progresso é dar o grande passo da civilização. Desde hoje, Portugal é a cabeça da Europa. Vós, Portugueses, não deixastes de ser navegadores intrépidos. Outrora íeis à frente no Oceano; hoje ides à frente na Verdade. Proclamar princípios é mais belo ainda que descobrir mundos.»

Victor Hugo, Carta a Pedro de Brito Aranha





Legados

Arquivo Pessoa

Casa Museu José Régio

Espaço Miguel Torga

Fundação António Quadros

MODERN!SMO Arquivo Virtual da Geração de Orpheu

Portal Agostinho da Silva

Rómulo de Carvalho – António Gedeão



Recursos

Academia Nacional de Belas-Artes

Academia Portuguesa da História

Arquivo de Cultura Portuguesa Contemporânea

Associação dos Arqueólogos Portugueses

Bibliografia do Conto Português (séc. XIX- XX)

Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian

CAAA, Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura

Escola Artística de Música do Conservatório Nacional

Fundação Casa da Música

Fundação Lusíada

Fundação Oriente

Glosas Música Clássica dos Países de Língua Portuguesa

Instituto de Estudos Medievais

mpmp movimento patrimonial pela música portuguesa

Projecto Adamastor – Biblioteca digital

Projecto REUTILIZAR – Movimento pela reutilização dos livros escolares

Seminário Livre de História das Ideias

Sociedade de Geografia de Lisboa

Sociedade Portuguesa de Autores

Sociedade Portuguesa de Filosofia

Viúva Lamego



Registos



Paralelos



Directos





Apud . . .

António Quadros

Azinhal Abelho

Lima de Freitas

Mário Cláudio





. . . Dixit

Eugeni d'Ors

Miguel de Unamuno

René Huyghe

Victor Hugo

Referências

Plurais

Afonso Botelho (1919-1998?)

Agostinho da Silva (1906-1994)

Álvaro Ribeiro (1905-1981)

António Quadros (1923-1993)

Fernando Pessoa (1888-1935)

Alberto Caeiro

Álvaro de Campos

Ricardo Reis

José A. Ferreira (n.1927)

José Marinho (1904-1975)

Leonardo Coimbra (1883-1936)

Lima de Freitas (1927-1998)

Vasco Graça Moura (1942-2014)


Parcelares

Almada Negreiros (1893-1970)

António Braz Teixeira (n.1936)

Bernardo de Brito O. Cist. (1569-1617)

Campos Monteiro (1876-1933)

Carlos Queiroz (1907-1949)

David Mourão-Ferreira (1927-1996)

Delfim Santos (1907-1966)

Fernanda de Castro (1900-1994)

Fernando Ruy dos Santos Gilot (?)

Fidelino de Figueiredo (1889-1967)

Florêncio Terra (1858-1941)

Jaime Cortesão (1884-1960)

José Régio (1901-1969)

José Rodrigues Miguéis (1901-1980)

Lídia Jorge (n.1946)

Luís Forjaz Trigueiros (1915-2000)

Luiz Francisco Rebello (1924-2011)

Miguel Torga (1907-1995)

Ramalho Ortigão (1836-1915)

Raúl Brandão (1867-1930)

Sampaio Bruno (1857-1915)

Sant'Anna Dionísio (1902-1991)

Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004)

Teixeira de Pascoaes (1877-1952)

Vergílio Ferreira (1916-1996)

Vitorino Nemésio (1901-1978)


Singulares

Aarão de Lacerda (1890-1947)

Agostinho de Campos (1870-1944)

Agustina Bessa Luís (1922-2019)

Alexandre Fradique Morujão (1922-2009)

Alves Redol (1911-1969)

António Ennes (1848-1901)

António Salvado (n.1936)

Antunes Valente (?)

Aquilino Ribeiro (1885-1963)

Augusto Saraiva (?)

Carlos Botelho (1899-1982)

Carlos Paredes (1925-2004)

Dom Marcos Barbosa O.S.B. (1915-1997)

Fernando Lopes Graça (1906-1994)

Fernando Namora (1919-1989)

Frederico de Freitas (1902-1980)

Geraldo Bessa Victor (1917-1985)

Graça Almeida Rodrigues (?)

Heloisa Cid (1908?-?)

Henrique Barrilaro Ruas (1921-2003)

João Gaspar Simões (1903-1987)

J. Coelho Pacheco (1894-1951)

Joel Serrão (1919-2008)

Joly Braga Santos (1924-1988)

Jorge de Sena (1919-1978)

Jorge Peixinho (1940-1995)

José-Augusto França (n.1922)

José Hermano Saraiva (1919-2012)

José Leite de Vasconcelos (1858-1941)

Júlio [dos Reis Pereira] (1902-1983)

Júlio Brandão (1870-1947)

Júlio Pereira (n. 1953)

Lauro António (n. 1942)

Manoel de Oliveira (1908-2015)

Manuel Breda Simões (1922-2009)

Manuel Ferreira Patrício (n.1938)

Marcelino Mesquita (1856-1919)

Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992)

Maria Judite de Carvalho (1921-1998)

Mário Cesariny (1923-2006)

Mário Cláudio (n.1941)

Moniz Barreto (1863-1899)

Nadir Afonso (1920-2013)

Natércia Freire (1919-2004)

Nunes da Rosa (1871-1946)

Nuno Gonçalves (Século XV)

Orlando Vitorino (1922-2003)

Rómulo de Carvalho (1906-1997)

Soeiro Pereira Gomes (1910-1949)

Teixeira de Carvalho (1861-1921)

Theophilo Braga (1843-1924)

Trindade Coelho (1861-1908)

Vianna da Motta (1868-1948)



Quotas

Alexis Carrel (1873-1944)

Arnold Toynbee (1889-1975)

Edgar Morin (n. 1921)

Elaine Sanceau (1896-1978)

Eugeni d'Ors (1881-1954)

Gilbert Sinoué (n.1947)

Henri Focillon (1881-1943)

Jean-Jacques Rouseau (1712-1778)

Manoelle Amé-Leroy (?)

Max-Pol Fouchet (1913-1980)

Miguel de Unamuno (1864-1936)

René Huyghe (1906-1997)

Tadao Takamizawa (n.1938 ?)

Victor Hugo (1802-1885)

Woody Allen (n.1935)

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D